Literatura, opiniões, memórias, autobiografias, e demais diletantices.
Domingo, 12 de Outubro de 2014
A ILHA DESERTA - 1º DISCO - A VIAGEM DE INVERNO

A Ilha Deserta é um dos mais antigos programas de rádio da BBC Radio 4. Com a internet pode ouvir-se e saber-se quais são os discos que personalidades da cultura, da ciência, da politica etc levariam para uma ilha deserta. Começou em 1942 e no site podem ouvir-se cerca de 1500 dos 2996 programas.

A nossa RDP - A2 teve um programa similar em 1993 com o título “A Ilha de Orfeu” quando à sua frente tinha gente como João Paes e por aí também ficamos a saber quais seriam os discos que portugueses ilustres com Bénard da Costa, Luís Santos Ferro, João Furtado Coelho, Jorge Listopad, Gérard Castello Lopes, Adriano Jordão, João Vieira, João Figueiredo Dias, Nella Maissa, Bigotte Chorão, Celestino da Costa, Fernanda Lapa, Carmen Dolores, Melo e Castro, Maria Velho da Costa, António Manuel Baptista e outros levariam consigo.

Quando João Paes foi posto fora da rádio (como agora o Baptista Bastos do DN) ,regressaram os do costume. Também os seguidores deste blogue ou do meu Facebook poderão se assim quiseram mostrar ao pequeno mundo os seus discos de eleição.

Comecemos pela “A Viagem de Inverno”, D.911, ciclo de canções sobre poemas de Muller (1828) de Franz Schubert obra primeira para a minha Ilha Deserta. Diaskau tem pelo menos cinco versões entre 1955 e 1972. Tenho a de 1963 com o grande Gerald Moore e estou ouvindo agora a de Mathias Gorne com Alfredo Brendel de 2003 vivo. É um grande cantor mas noto-lhe muito a influência de Fischer-Dieskau. Nos anos 70, João de Freitas Branco considerava a versão de Dieskau a melhor.

Tenho a de John Vickers com Peter Shaaf de 1986 que também gosto. Para Vieira Nery a melhor continua a ser a de Vickers mas a de 1973 com G. Parsons.

Peter Pears com B. Britten em 1963 está entre as minhas preferidas.

Hans Hotter com Gerald Moore em 1955 que ainda tenho em vinil, para mim é a melhor. Mais profunda, dramática, intensa. Perfeita com o som analógico. As edições em CD em 1987 não revelam o grande, grande cantor que foi Hans Hotter.

Talvez esta exibição de conhecimentos, que os amigos não classificarão de presunçosa, leve algum dos meus seguidores, também a escolher o primeiro dos dez discos para a A Ilha Deserta.

 

 

A ultima canção, a nº 24, "O homem do realejo" das mais dramáticas, aqui na versão Thomas Quasthoff, outro grande intérprete de Schubert com Daniel Baremboim ao piano.

 

 



publicado por Dito assim às 17:33
link do post | comentar | favorito

Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

O REAL QUOTIDIANO

Vendidos, sempre houve

Mais uma crónica de Antón...

ENSINAR, COMOVER E DELEIT...

A Rendição de Breda de Ve...

Alguns quadros de cinismo...

"Somos todos felizes outr...

OS NEGÓCIOS E A SUBSERVIÊ...

Em Guimarães no Toural em...

O 25 DE ABRIL DE 2016

arquivos

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Agosto 2015

Julho 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Contador
blogs SAPO
Este Blogue é completamente ... ...Alérgico ao Acordo Ortográfico